Os números comprovam: a violência não para!

Por:

de de

Muitos pensavam que, com a menor circulação de pessoas em virtude da pandemia, o ano de 2020 teria queda nos índices de criminalidade. Infelizmente, não é o que mostram os dados oficiais, com poucas exceções. Assim, qualquer um pode ser a próxima vítima. 

Ao tratarmos de índices, precisamos comparar períodos, meses e circunstâncias iguais: janeiro com janeiro; trimestre com trimestre; espaço geográfico com espaço geográfico.   E ainda assim, quando fizermos estes paralelos com razoável rigor científico, podemos ser enganados pelas circunstâncias.   É o que vemos neste primeiro semestre de 2020 na comparação com igual período de 2019. 

Linha ascendente

Analisando a situação do Brasil como um todo, percebe-se um crescimento importante de crimes contra a vida e contra o patrimônio desde o início da pandemia do coronavírus. Esses indicadores, até certo ponto, não se explicam, pois a tendência esperada seria – com o isolamento social – justamente contrária. No RS, por exemplo, tal fenômeno não se registrou no RS. Encontramos no Estado sulista números absolutamente favoráveis, com registros de reduções históricas, particularmente, dos crimes contra a vida. Neste particular devemos destacar o acerto das políticas públicas de segurança.  

Mas, como referimos, essa não é a realidade da maioria dos estados brasileiros. No primeiro semestre de 2020, o país apresentou crescimento nos indicadores de criminalidade, interrompendo o declínio dos índices dos últimos dois anos. De acordo com o Monitor de Violência do G1 (uma parceria do Núcleo de Estudos da Violência da USP com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública), os crimes contra a vida subiram 6,2% entre janeiro e junho deste ano, comparado ao mesmo período de 2019. 

Faz-se necessário salientar que são semestres bastante diferentes, inclusive no que diz respeito à segurança pública e privada, pois o ano de 2020 teve alteração no comportamento das pessoas e nas dificuldades financeiras devido à ocorrência da Covid-19. 

Desde o início das medidas de isolamento social, os furtos e roubos de cargas nas rodovias também registraram aumento bastante significativo. A Região Sul sofreu crescimento de 6,52% nesse período, amargando prejuízos de milhões de reais, indo de encontro à tendência de queda dos últimos três anos. Os setores alimentício, de cigarros, de bebidas e de combustíveis foram os mais afetados. 

Segundo o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística do Rio Grande do Sul, Setcergs, o investimento feito pelas empresas em tecnologia e em segurança privada nas suas operações foi determinante para a redução dos crimes de furtos e roubos nas rodovias. Antes da chegada do coronavírus, o ritmo era decrescente nos índices desse tipo de delito.  

Vulnerabilidade

Este é o momento em que bate aquele sentimento de fragilidade. Não são raras as vezes que os pensamentos “e agora?!” ou “quando eu, ou alguém próximo a mim entrará para a estatística?” assombram a mente das pessoas. Com certeza, viver em segurança, com tranquilidade, bem-estar e qualidade de vida está nos sonhos da maioria da população. A busca pela paz de espírito e por  saber que os entes queridos e patrimônio adquirido estão seguros e protegidos é constante. 

E Estado não consegue estar presente em todos os lugares, oferecendo a proteção adequada à população. Assim, surge nas pessoas o receio e a ameaça de passarem a integrar os números de criminalidade. Lamentavelmente, a quantidade de famílias sendo destruídas por atos delituosos, que acabam com a vida de seus filhos, pais, mães, irmãos, parentes em geral, é crescente. Além disso, o patrimônio, que, muitas vezes, resulta de uma vida inteira de sacrifícios e lutas, é um dos primeiros itens a ser violado em situações como essa. Ninguém duvida da afirmação que o poder público não consegue dar conta sozinho das principais necessidades da população. Quanto a questão da segurança (pública), o resguardo e anteparo tem sido ampliado pela Segurança Privada.

Tecnologia a serviço da segurança  

No entanto, podemos contar com a tecnologia a serviço da segurança. Equipamentos de qualidade e profissionais capacitados fazem a diferença em uma situação de perigo. E melhor ainda, este recurso pode estar a um clique de distância. Contratar uma empresa de segurança privada tem sido, cada vez mais, a solução imediata para muitos brasileiros. Profissionais competentes e com experiência, trabalhando de forma integrada com tecnologia de última geração, são capazes de reduzir os riscos e de oferecer proteção aos cidadãos, às suas famílias e ao seu patrimônio. Isso chama-se qualidade de vida. Não é o que você busca?

Em 2019, o setor  de segurança privada obteve um crescimento de 10% no mercado brasileiro – dois pontos a mais do que no ano anterior. Encontrar um prestador de serviço especializado que atenda seu cliente exatamente de acordo com as suas necessidades, de maneira personalizada, com ações estratégicas, tecnologia de ponta, profissionais altamente capacitados pode não ser uma tarefa simples. E por isso estamos aqui. Para ajudá-lo.

Solução

Não queremos que você seja mais um número nas estatísticas da segurança pública. Então, agende uma visita para que o nosso Comercial apresente os planos do Grupo Epavi para que você e sua família possam viver com segurança e tranquilidade. Epavi, empresa campeã de inovação em seu segmento na Região Sul do Brasil. 

32221969         comercial@epavi.com.br         epavi.com.br

Nos próximos artigos, apresentaremos novos cenários e as soluções que o Grupo Epavi têm à sua disposição.

Acompanhe-nos pelas redes sociais.

https://www.facebook.com/GrupoEpaviOficial/

www.instagram.com/grupoepavi

https://www.linkedin.com/company/grupo-epavi